Pão de girassol e linhaça – feito com massa-mãe

20191130_083636

Eis que, depois de uma longa pausa nas publicações aqui no Blog, estou de volta!

A última publicação que fiz por aqui foi em Fevereiro de 2019, por isso depois de quase um ano de ausência, pode-se dizer que estava cheia de saudades deste cantinho.

São vários os motivos da minha ausência, mas em resumo posso dizer que a mudança de emprego e a descoberta de uma nova gravidez, com uma bebé reguila a crescer a olhos visto saudável e feliz, mantiveram-me bem ocupada 🙂

Pelo Instagram sempre vai aparecendo uma ou outra receita (se não me seguem por lá, convido-vos a visitar: Instagram Petiscana). Tenho optado por esta rede social porque é a que mais frequentemente uso e sinto que chego a mais pessoas por aqui.

A receita que vos trago hoje está prometida no Instagram e resulta de uma nova descoberta para mim (que se está a tornar viciante) neste mundo culinário. Um pão delicioso feito com massa-mãe, que nada mais é do que uma massa de fermentação natural composta por farinha e água (na sua essência) que quando em condições ideais de temperatura desenvolve microorganismos (bactérias e fungos de levedura) originado  um fermento natural que é posteriormente usado para confeccionar o pão.

20191130_083931

20191130_083752

 

Inicialmente este processo pode ser avassalador e podemos nos sentir desmotivados a tentar sequer, mas quando percebemos a verdadeira essência do processo chegamos à conclusão que a maior parte do trabalho é feito pela massa em sim. A nós cabe-nos apenas aguardar e planear de forma a termos a massa-mãe pronta quando pretendemos fazer pão fresco.

Deixo-vos a receita que usei para me estrear nesta aventura que retirei do novo livro da Bimby “Pão Artesanal – da massa-mãe ao forno”. Mais para a frente trarei uma outra receita também com massa-mãe que fiz e adorei!

Deixei os passo apenas para o robot de cozinha, mas como poderão verificar é facilmente  adaptável ao modo tradicional, caso não tenham robot de cozinha.

Espero que se sintam tentados a experimentar e se encante tanto como eu me encantei com este processo.

Bons cozinhados!

Massa-Mãe de trigo e maçã

Ingredientes:

2 maçãs biológicas com casca, bem maduras (cerca de 300g)
150g de água a 30ºC
200g de farinha de trigo, tipo 65

Com robot de cozinha:

  1. Primeiro dia: Começar por lavar as maçãs, cortar em quartos, remover os caroços e colocar no copo programando 5 segundos, velocidade 8. Escorrer com o auxílio de coador reservando o sumo (a polpa poderá ser posteriormente usada em batidos, bolos, granolas, etc).
  2. Num frasco alto e estreito (1L aproximadamente) misturar com o auxílio de um garfo 50g do sumo de maçã, 50g da água e 100g da farinha até obter uma massa com a consistência de papa de cerelac. Tapar o frasco com uma tampa (não fechar hermeticamente para que possa entrar ar) e deixar repousar 24h num local quente (22ºC a 26ºC).
  3. Segundo dia: À massa já em processo de levedação do passo 2 adicionar 100g da farinha e 100g da água. Mexer bem. Tapar o frasco com uma tampa (não fechar hermeticamente para que possa entrar ar) e deixar repousar mais 24h num local quente (22ºC a 26ºC).
  4. Terceiro dia: Neste dia já deverá existir sinais de actividade na massa (bolhas visíveis e algum aumento de volume). Nestas condições a massa está pronta a ser usada.

DICA: Depois de atingida a maturação desejada da massa, poderão guardar 50g desta massa no frigorífico para usar em futuras receitas (chamado isco) que poderão refrescar de 3 em 3 dias -> 10 g do isco + 50g de farinha de trigo tipo 65 + 60 g de água morna. Envolver bem e maturar por algumas horas em local quente (22ºC a 26ºC) até que seja evidente sinais de actividade na massa. As 40g restantes do isco antigo poderão ser descartadas.

 

Pão de girassol e linhaça

Ingredientes:

Massa-Mãe de trigo

100g de água
10g de isco (acima descrito)
100g de farinha de trigo tipo 65

Massa demolhada a frio

50g de sementes de girassol
40g de sementes de linhaça
90g de água

Massa principal

Azeite para untar
200g de água frio + qb para criar vapor
10g de fermento de padeiro seco
150g de farinha de trigo integral
160g de farinha de trigo tipo 65 + qb para polvilhar
1 1/2 c.chá de sal

Com robot de cozinha:

Massa-Mãe de trigo

  1. Colocar no copo a água e programar 2 minutos, 37ºC, velocidade 1. Verter para um frasco de vidro.
  2. Colocar o frasco com água sobre a tampa do robot de cozinha, pesar o isco e a farinha e misturar bem com o garfo. Tapar o frasco com uma tampa (não fechar hermeticamente para que possa entrar ar) e deixar repousar 15h num local quente (24ºC). Nesso período preparar a massa demolhada a frio.

Massa demolhada a frio

  1. Aquecer uma frigideira por 2 minutos. Deitar as sementes de girassol e torrar 1 minuto. Reservar num recipiente, adicionar as sementes de linhaça e a água e misturar bem. Cobrir e reservar no frigorífico (irá absorver a água) até ao momento  de usar.

Massa principal

  1. Untar com azeite uma caixa com tampa (5L aproximadamente)
  2. Colocar no copo a água, o fermento, a massa-mãe de trigo e a massa demolhada, as farinhas e o sal e programar 2 minutos, velocidade inversa, 5. Colocar a massa na caixa previamente untada, tapar, e deixar levedar um local quente (24ºC) por pelo menos 2 horas.
  3. Sobre uma superfície polvilhada com farinha dividir a massa em 2 pedaços iguais rectangulares. Em cada uma das partes, dobrar os 4 lados para o centro, arredondar e pressionar ligeiramente e a seguir dobrar para o meio a partir da borda de cima e da debaixo. Passar os dois pedaços de pão na farinha e formar dois pães alongados. Deixar levedar numa superfície forrada com papel vegetal e  polvilhada com farinha (com as marcas das dobras viradas para baixo), cobrindo com um pano, por cerca de 1h.
  4. No fundo do forno, colocar uma tigela de aço inoxidável ou um recipiente de ferro fundido. Virar o tabuleiro do forno ao contrário e colocá-lo dentro de forno. A 40 minutos do final do final do período de repouso da massa, pré-aquecer o forno a 250ºC.
  5. Transferir os pães (com a folha de papel vegetal) para cima do tabuleiro do forno, e encher com cuidado o recipiente de aço inoxidável com água para criar vapor. Fechar de imediato o forno para que o vapor não escape e cozinhar a 250ºC por 10 minutos. Passado esse tempo, baixar a temperatura do forno para os 200ºC e deixar cozer 20-25 minutos. Deixar o pão arrefecer sobre uma rede antes de cortar/servir.
20191211_113320
Passo a passo para moldagem do pão retirado do livro
Advertisements

Pão de milho e espelta

Petiscana_pãoMilhoEspelta_1

Não, eu não desisti do Blog! Tenho andado mais afastada, por motivos profissionais e pessoais… infelizmente o tempo não chega para tudo.

Há uns tempos fiz este delicioso pão para um lanche de domingo e achei-o tão saboroso e simples de preparar que decidi partilhar convosco a receita. Gostei do facto de ser um pão que não precisa ser amassado e para além disso a massa rende para mais do que uma utilização, o que nos permite ter pão fresco durante alguns dias. Excelente, certo?

Há no entanto um senão deste pão, não se aguenta fofo muito tempo… mas para compensar fica ótimo em torradas! 🙂

Esta receita foi tirada do Blog da Teresa Rebelo – Lume Brando que acompanho há já algum tempo e gosto tanto. Se não conhecem recomendo a visita, tem receitas de chorar por mais!

 

Espero que gostem deste põzinho tanto quanto eu! Bons cozinhados!

Ingredientes:

  • 150g de farinha de milho
  • 150g de farinha de espelta
  • 200g de farinha T65
  • 375ml de água morna
  • 10g de fermento de padeiro seco
  • 1/2 c. sopa de sal
  • 1 c. chá de açúcar amarelo
  • Farinha de arroz para polvilhar

 

Preparo – Modo Tradicional:

  1. Numa taça grande colocar a água morna e juntar o fermento, dissolvendo com a ajuda de uma colher.
  2. Noutra taça, pesar as farinhas, juntar o sal e o açúcar.
  3. Adicionar a mistura de secos, aos poucos, à mistura de água e fermento, mexendo com uma colher, só até estar tudo ligado.
  4. Colocar película aderente por cima e deixe repousar duas horas à temperatura ambiente. Após este tempo, guardar a massa no frigorífico, tapado com a película aderente. Dura cerca de 10 dias no frigorífico, podendo ser usada aos poucos.
  5. Para fazer o pão, polvilhar com farinha a superfície da massa e retirar um pedaço do tamanho de uma toranja.
  6. Volte a tapar e a guardar no frigorífico a massa restante.
  7. Moldar a massa em forma de bola, achatar um pouco e deixe-a repousar sobre papel vegetal polvilhado com farinha e coberto com um pano, cerca de 40 minutos.
  8. Entretanto ligar o forno nos 200ºC.
  9. Colocar  a aquecer no forno uma panela de barro ou ferro fundido sem a tampa.
  10. Polvilhar uniformemente a massa com farinha de arroz com a ajuda de uma peneira ou um coador.
  11. Humidificar a lâmina de uma faca bem afiada e fazer um corte rápido na superfície da massa. Repita o gesto as vezes apropriadas .
  12. Retirar a panela do forno, e transfira para esta, com cuidado para não se queimar, a massa com o papel vegetal.
  13. Tapar a panela e levar a cozer durante cerca de 40 minutos. Ao fim deste tempo, retirar a tampa e, se achar que ainda está um pouco branco, retire da panela e deixe cozer mais alguns minutos sobre o papel vegetal e numa posição superior do forno, para dourar. Fazer o teste de bater no pão para ver se está cozido: estará perfeito quando se ouvir um som ‘oco’. Retirar do forno e deixar arrefecer sobre uma rede.

 

Preparo – Com robot de cozinha:

  1. No copo colocar a água e o fermento e programar 2 minutos, 37ºC, velocidade 3.
  2. Adicionar as farinhas, açúcar e sal e programar 1 minuto, velocidade espiga. Retirar a massa para uma tigela, colocar película aderente por cima e deixe repousar duas horas à temperatura ambiente. Após este tempo, guardar a massa no frigorífico, tapado com a película aderente. Dura cerca de 10 dias no frigorífico, podendo ser usada aos poucos.
  3. Para fazer o pão, polvilhar com farinha a superfície da massa e retirar um pedaço do tamanho de uma toranja.
  4. Volte a tapar e a guardar no frigorífico a massa restante.
  5. Moldar a massa em forma de bola, achatar um pouco e deixe-a repousar sobre papel vegetal polvilhado com farinha e coberto com um pano, cerca de 40 minutos.
  6. Entretanto ligar o forno nos 200ºC.
  7. Colocar  a aquecer no forno uma panela de barro ou ferro fundido sem a tampa.
  8. Polvilhar uniformemente a massa com farinha de arroz com a ajuda de uma peneira ou um coador.
  9. Humidificar a lâmina de uma faca bem afiada e fazer um corte rápido na superfície da massa. Repita o gesto as vezes apropriadas .
  10. Retirar a panela do forno, e transfira para esta, com cuidado para não se queimar, a massa com o papel vegetal.
  11. Tapar a panela e levar a cozer durante cerca de 40 minutos. Ao fim deste tempo, retirar a tampa e, se achar que ainda está um pouco branco, retire da panela e deixe cozer mais alguns minutos sobre o papel vegetal e numa posição superior do forno, para dourar. Fazer o teste de bater no pão para ver se está cozido: estará perfeito quando se ouvir um som ‘oco’. Retirar do forno e deixar arrefecer sobre uma rede.

Petiscana_pãoMilhoEspelta_2

Nota da Teresa:

Pode também cozer o pão sobre uma pedra ou um tabuleiro tradicional, idealmente pré-aquecidos; neste caso, para criar humidade no forno (tal vai acontecer naturalmente na panela tapada), coloque um tabuleiro com água a ferver na parte de baixo do forno, uns 10/15 minutos antes de colocar o pão e enquanto o pão coze. Há também quem use toalhas de felpo húmidas e regadas com água a ferver.

Carcaças, e os votos de um feliz 2019!

 

petiscana_carcaças

Se há coisa a que não resisto mesmo é a pão fresco, e se for feito em casa ainda melhor!

Todo o processo de amassar, combinando sabores, de ver a massa crescer e mais tarde saborear fascina-me!

Esta receita for retirada do Cookidoo da Bimby. Já há algum tempo que a andava a “namorar” e este fim-de-semana, decidi experimentar.

Ficam deliciosas e fizeram muito sucesso aqui por casa, de tal maneira que a receita já foi para as favoritas porque para além de deliciosas, são relativamente rápidas e simples de preparar.

A única coisa que tenho de aperfeiçoar nesta receita é o formato do pão, já que as tradicionais carcaças têm umas “maminhas” e as minhas ficaram mais arredondadas, tudo o resto está aprovadíssimo!

E é com esta receita de pão que encerro as receitas do ano 2018. Um ano agridoce para mim. Um ano em que recebi a melhor prenda que a vida nos pode dar, a minha doce Margarida, e ao mesmo tempo perdi o meu querido avô, um senhor por quem tinha um carinho e admiração enorme, e de quem tenho tantas saudades… e que honra foi poder ter passado estes anos com ele e vê-lo com a minha filha nos braços.

Sou grata pela vida que tenho, pelas coisas boas e pelas más que me aconteceram pois todas elas, à sua maneira, fizeram de mim a pessoa que sou hoje. E o balanço deste ano não poderia ser diferente. Gratidão é, sem dúvida, a palavra que escolho para resumir este ano.

A quem está desse lado, deixo o meu voto de feliz Ano Novo! Que o ano que se avizinha seja próspero e feliz, e que os vossos sonhos sejam realizados! Obrigada por estarem desse lado, festejem muito (com moderação), comam bem e sejam felizes! 🙂

Ingredientes:

  • 200g de água
  • 70g de leite
  • 20g de manteiga
  • 7g de fermento de padeiro seco (ou 20g de fermento de padeiro fresco)
  • 1 pitada de açúcar
  • 500g de farinha tipo 65
  • 1 + 1/2 c.chá de sal

Preparo – Modo Tradicional:

  1. Começar por amornar a água com o leite e a manteiga.
  2. Juntar o açúcar e o fermento e envolver bem até que o açúcar e o fermento se dissolvam.
  3. Juntar a farinha e o sal e amassar bem até obter uma massa lisa e homogénea (cerca de 5 minutos). Colocar a massa numa taça enfarinhada. Deixar levedar, em local morno, por 30 minutos ou até a massa dobrar de volume.
  4. Dividir a massa em 12 partes iguais, moldar as carcaças e colocá-las num tabuleiro forrado com papel vegetal e farinha e deixar repousar 30 minutos ou até que dobrem de volume.
  5. Pré-aquecer o forno a 180ºC.
  6. Polvilhar as carcaças com farinha e, com uma faca, fazer cortes no centro de cada uma. Levar ao forno a 180ºC por cerca de 30 minutos (até obterem uma ligeira cor). Retirar do forno e deixar arrefecer sobre uma rede.

Preparo – Com robot de cozinha:

  1. No copo colocar a água, o leite, a manteiga o açúcar e o fermento e programar 2 minutos, 37ºC, velocidade 2.
  2. Juntar a farinha e o sal e programar 3 minutos, velocidade espiga. Retirar a massa do copo e colocar numa taça enfarinhada. Deixar levedar, em local morno, por 30 minutos ou até a massa dobrar de volume.
  3. Dividir a massa em 12 partes iguais, moldar as carcaças e colocá-las num tabuleiro forrado com papel vegetal e farinha e deixar repousar 30 minutos ou até que dobrem de volume.
  4. Pré-aquecer o forno a 180ºC.
  5. Polvilhar as carcaças com farinha e, com uma faca, fazer cortes no centro de cada uma. Levar ao forno a 180ºC por cerca de 30 minutos (até obterem uma ligeira cor). Retirar do forno e deixar arrefecer sobre uma rede.